Logo do REDE EDUCACIONAL

PETRÓLEO – Riscos e oportunidades

 

Muito se fala no Brasil sobre as possibilidades e projeções otimistas com a exploração de petróleo no “Pré-Sal”. Por outro lado, um acidente ocorrido nos Estados Unidos, de proporções catastróficas do ponto de vista ecológico, abalou o mundo no início do ano.

 

O Petróleo

 

O petróleo é um combustível fóssil originado pela decomposição de matéria orgânica antiga, geralmente em ambiente com elevada salinidade. É um óleo negro que passou a ser muito utilizado especialmente a partir da segunda revolução industrial, como fonte de energia e, posteriormente também como importante matéria-prima (para plásticos, tecidos e borrachas sintéticas, entre outros).

 

Importante lembrar:

O petróleo é uma fonte de energia e matéria-prima das mais importantes na atualidade.

É um combustível fóssil e não-renovável (daí as preocupações com o fim do petróleo e a necessidade de se buscar fontes alternativas de energia, preferencialmente as renováveis).

Ele é um dos principais responsáveis por diversas disputas geopolíticas e conflitos, especialmente os que envolvem os Estados Unidos e o Oriente Médio.

 

As maiores regiões produtoras de petróleo são: o Oriente Médio, os Estados Unidos, a Rússia, o México, a Venezuela, a região do Mar do Norte (norte da Europa) e o norte da África.

 

Os maiores consumidores são os países desenvolvidos, especialmente os Estados Unidos.

 

A OPEP – Organização dos Países Exportadores de Petróleo é um grupo de países que exportam petróleo e criaram essa organização para gerenciar e defender seus interesses.

 

O acidente ecológico de abril de 2010

 

No dia 20 de abril de 2010 ocorreu um acidente de proporções catastróficas para o meio-ambiente: a explosão de uma plataforma de petróleo no Golfo do México passou a lançar no mar milhares de barris de petróleo por dia.

 

· A plataforma ficava 65 km ao sul dos Estados Unidos e pertence à British Petroleum.

· O sistema de emergência que deveria tampar o vazamento após a explosão não funcionou e diversas tentativas apenas diminuíram o vazamento até o momento. Boa parte do petróleo continua indo diretamente para o mar.

· A grande profundidade (1,5 quilômetros) e as condições da região (época de tempestades e furacões) dificultam as atividades para tentar minimizar os estrados e conter o vazamento.

· O desastre é o maior dos Estados Unidos e um dos maiores do mundo.

· Apesar das estimativas iniciais divulgadas relatarem que o vazamento não chegava a mil barris de petróleo por dia, atualmente sabe-se que o vazamento é de 35 a 60 mil BPD (Barris de Petróleo por Dia).

 

Lembrando: um barril de petróleo contém quase 160 litros do óleo.

 

A Petrobrás e o Pré-sal

 

1953 – Fundação: Fundada pelo então presidente Getúlio Vargas, a princípio a Petrobrás era a única empresa brasileira que poderia explorar e distribuir o petróleo e seus derivados no país. O monopólio na distribuição logo é quebrado, permanecendo o da exploração.

1997 – Quebra do monopólio: O monopólio na exploração do petróleo é quebrado e, no ano seguinte, é criada a ANP – Agência Nacional do Petróleo, cuja função é regulamentar o setor ligado aos combustíveis fósseis e biocombustíveis no Brasil. É importante lembrar que, apesar do fim do monopólio, a Petrobrás continua “praticamente única” na exploração petrolífera no Brasil pois internamente é a única empresa com condições para exploração e também, nos leilões e divisões de cotas de exploração das bacias de petróleo no Brasil, conta com amplo apoio do governo (que faz esses leilões e a divisão das cotas).

2006 – Auto-suficiência e descoberta do pré-sal: Em 2006 o Brasil passa a produzir mais petróleo do que consome, alcançando a auto-suficiência. Alguns críticos alegam que o Brasil continua importando petróleo, mas isso se deve ao fato de nosso petróleo ser pesado (qualidade inferior) e algumas indústrias, especialmente as de alta tecnologia, precisarem de petróleo leve (maior qualidade), saindo mais barato comprar petróleo leve de países estrangeiros do que petróleo “altamente refinado” no Brasil. Nesse mesmo ano o Brasil descobriu a existência do pré-sal.

2009 – Início da produção no pré-sal: Localizada próxima ao litoral brasileiro, do nordeste até a região sul, encontra-se a reserva do pré-sal. O nome “pré-sal” se deve ao fato das reservas estarem abaixo da camada de sal do fundo do oceano, entre 5 e 7 quilômetros de profundidade, aproximadamente. Acredita-se que haja mais petróleo no pré-sal que em todo o restante das reservas estimadas no Brasil, além disso, o petróleo encontrado lá é considerado leve, ou seja, de melhor qualidade e maior valor. É importante destacar que o Brasil (a Petrobrás) possui uma tecnologia considerada das melhores (se não a melhor) do mundo em exploração de petróleo a profundidades elevadas.

 

Atualmente a área de maior exploração de petróleo no Brasil é a Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. Quase todo o petróleo brasileiro é explorado no oceano.

 

SUGESTÕES PARA APROFUNDAMENTO NOS ESTUDOS:

 

Sites:

- “PETROBRÁS” (http://www.petrobras.com.br): Site da Petrobrás, possui informações sobre a empresa e a exploração de petróleo no Brasil.

- “ANP” (http://www.anp.gov.br): Site da Agência Nacional do Petróleo, com diversas informações a respeito desse combustível e as atividades ligadas a ele no Brasil.

Filmes:

- “Ouro negro” (Isa Albuquerque, 2008): Filme brasileiro que narra o início da busca e das atividades relacionadas ao petróleo em nosso país.

- “Sangue negro” (Paul Thomas Anderson, 2007): Filme que conta os princípios da exploração e da formação dos grandes grupos de petróleo dos Estados Unidos.

PETRÓLEO - RISCOS E OPORTUNIDADES (ATU03)

Matéria: Atualidades / Professor: Delton Campanhã de Moraes

   www.redeeducacional.com.br — O seu site de estudos em ciências humanas e suas tecnologias